Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Arquivos de Tag: automação de processos

Ineficiência na gestão de dados e informações dentro das empresas

Será que sua empresa faz uma gestão de dados adequada? Entenda mais sobre o assunto e o impacto que ele causa no processo produtivo organizacional. Várias empresas, assim como muitos de nós, nasceram em uma época em que a informatização estava apenas iniciando e, naquele momento, nos foram apresentadas soluções muito inovadoras e incríveis que utilizamos até hoje. Porém, se olharmos com a visão atual, muitos processos que eram considerados inovadores, hoje são vistos com uma percepção de ineficiência, especialmente no âmbito da gestão de dados.  Podemos usar como exemplo as planilhas eletrônicas, a troca de mensagens por e-mail, os editores de texto e todo o pacote, que desempenharam um papel fundamental no processo de informatização dos escritórios. Mudanças constantes no mercado A informatização desempenhou um papel fundamental e totalmente novo no dia a dia das empresas. As organizações instituíram as cadeias de valor, de forma a agregar conhecimento em cada passo produtivo organizacional, utilizando a informática para ganhar tempo e diminuir os custos. No decorrer dos anos seguintes, o uso do papel foi diminuindo e, conforme a Lei de Moore, a velocidade incremental de evolução e adoção tecnológica aumentou, elevando assim a complexidade dos controles organizacionais. Os controles realizados por meio de planilhas, e-mails e documentos soltos no processo produtivo não são mais sustentáveis. Isso porque eles são difíceis de serem dominados. Para que haja eficiência no processo e conhecimento agregado, sem perdas por retrabalho, é necessário garantir o armazenamento, preservação, controle e recuperação das informações. O controle segmentado a partir do uso de documentos, planilhas e informações, espalhadas nos diversos meios e arquivos, além de exigir um esforço hercúleo, não garante eficiência e promove perdas significativas de informações. A necessidade da automação de processos  Uma boa solução para o problema do controle de dados e gestão das informações é a implementação da automatização dos processos organizacionais. A implementação de fluxos de trabalhos adequados, com parâmetros e dados de entrada, manipulação de informações e garantia de níveis de aprovação, é possível por meio da implementação de um ambiente informatizado único. A automação permite agrupar arquivos de forma inteligente e dinâmica, construindo uma cadeia de dados concreta e produtiva. A automação de processos se mostra não só uma tendência, mas também uma necessidade, tendo em vista as exigências de um mercado cada vez mais competitivo que se baseia, principalmente, no uso de dados. Além disso, a automação de processos permite o controle de acesso aos dados, o que contribui para que a empresa tenha maior controle das informações, atuando em consonância com o que determina a Lei Geral de Proteção de Dados. Agora, pensando na sua empresa e em como se dá a distribuição de informações dentro do negócio, levantamos algumas questões. Você tem problemas com o compartilhamento de informações em arquivos diversos? Os dados estão armazenados em planilhas, arquivos e e-mails? Quando você precisa acessar alguma informação, precisa dedicar um tempo excessivo na busca dos dados? Se você respondeu “sim” para uma ou mais dessas perguntas, é hora de automatizar os seus processos por meio do uso de uma ferramenta que dê suporte ao seu processo produtivo.  Conheça a Zuri, entre em contato com um dos nossos especialistas e descubra como podemos ajudar sua empresa!   “Leandro Zerbinatti, Diretor de Serviços, Gente e Academia” Responsável pelo treinamento e capacitação tanto de nossas equipes quanto de clientes e prospects. Mentor de Transformação Digital e Professor PHD, Leandro traz em seu legado vasta experiência corporativa em áreas do ciclo de desenvolvimento da Engenharia de Sistemas (Eletrônicos e de Informação), Inovação e Capacitação de Pessoas. Nos últimos anos, aprofundou sua expertise na tecnologia low-code e atuou como líder de Academy para a Outsystems, gigante do mercado global em tecnologia low-code, focada em desenvolvimento de aplicativos. Confira seu LinkedIN.

Transformação digital: da visão para a ação

Dando continuidade à série de vídeos da implantação da Transformação Digital, neste conteúdo o professor Doutor Leandro Zerbinatti aborda, de forma clara e estruturada, como dar o primeiro passo, partindo da visão para uma ação concreta. Assista ao vídeo e descubra:   Quer saber mais sobre o assunto? Acesse o site da Zuri e conheça mais sobre as soluções que oferecemos para as empresas que desejam iniciar a jornada de transformação digital.     “Phd. Leandro Zerbinatti, Diretor de Serviços” Responsável pelo treinamento e capacitação tanto de nossas equipes quanto de clientes e prospects. Mentor de Transformação Digital e Professor PHD, Leandro traz em seu legado vasta experiência corporativa em áreas do ciclo de desenvolvimento da Engenharia de Sistemas (Eletrônicos e de Informação), Inovação e Capacitação de Pessoas. Nos últimos anos, aprofundou seu expertise na tecnologia low-code e atuou como líder de Academy para a Outsystems, gigante do mercado global em tecnologia low-code, focada em desenvolvimento de aplicativos. LinkedIN.

Transformação Digital – Visão em etapas claras

Transformação digital: jornada — uma visão em etapas claras Este é mais um conteúdo da série de vídeos que desenvolvemos sobre o ciclo de implantação da transformação digital nas empresas. Nos conteúdos, você vai transitar por diferentes etapas, desde a criação de necessidades, a visão, o foco no investimento, a mobilização da organização, a implantação até a sustentação da transformação digital em seu negócio. Neste vídeo, o professor Leandro Zerbinatti apresenta uma forma clara e em etapas para dar início à implantação da jornada de transformação digital. É uma construção da visão de onde a organização quer chegar com todo o investimento para a transformação digital. E, com inteligência, digitalizar o “core” business.  Assista, agora, como criar uma visão estratégica para sua Transformação Digital e aprenda como estruturar o seu raciocínio para estabelecer a que ponto quer chegar.   Quer saber mais sobre o assunto? Acesse o site da Zuri e conheça mais sobre as soluções que oferecemos para as empresas que desejam iniciar a jornada de transformação digital.   “Phd. Leandro Zerbinatti, Diretor de Serviços, Gente e Academia” Responsável pelo treinamento e capacitação tanto de nossas equipes quanto de clientes e prospects. Mentor de Transformação Digital e Professor PHD, Leandro traz em seu legado vasta experiência corporativa em áreas do ciclo de desenvolvimento da Engenharia de Sistemas (Eletrônicos e de Informação), Inovação e Capacitação de Pessoas. Nos últimos anos, aprofundou seu expertise na tecnologia low-code e atuou como líder de Academy para a Outsystems, gigante do mercado global em tecnologia low-code, focada em desenvolvimento de aplicativos. Confira seu LinkedIN.

Plataforma DPA low-code gera muito mais valor

Transformação digital com automação de processos e DPA low-code. Entenda! A transformação digital exige a automação dos processos de negócios e investimentos em soluções DPA low-code.   É notório que a transformação digital requer a automação de processos. Em um mercado cada vez mais competitivo, tempo é sinônimo de dinheiro. Por isso, as empresas devem focar em ações que favoreçam a otimização das tarefas. Muitos profissionais estão sobrecarregados de trabalho e o prazo costuma ser o principal desafio dos projetos. A saída é buscar ajuda nas ferramentas de automação de processos, selecionando a mais indicada para cada situação. Neste artigo, você vai conhecer opções e insights que vão ajudar na implementação da transformação digital no seu negócio. Confira!   Economia e eficiência com plataformas low-code  Com ferramentas DPA (Digital Process Automation) é possível reduzir drasticamente o tempo de criação de soluções de negócio. O processo tradicional de codificação — com linguagens de programação, frameworks e middleware — para criar software sob medida foi o problema citado como maior empecilho para entregar seu trabalho no prazo por 31% dos desenvolvedores ouvidos em pesquisa da Forrester mencionada pelo Computerworld. O Gartner considera a economia no tempo de entrega uma das principais vantagens das plataformas low-code, que não exigem do desenvolvedor conhecimentos profundos de TI. Plataformas de automação de processos low-code podem ajudá-lo a entregar soluções de negócio muito rapidamente — o que significa, por exemplo, sete minutos para criar uma solução simples, como você pode ver nesta demonstração em vídeo. Estima-se que até 2023, nas grandes empresas, a quantidade de pessoas que não são desenvolvedores profissionais, mas utilizam ferramentas low-code para desenvolvimento de processos, como o Zuri, será quatro vezes maior do que o número de profissionais da área de TI.   Boas práticas de desenvolvimento tecnológico Isso demonstra o quanto é importante que os líderes de TI e de diferentes áreas de negócios trabalhem em parceria para o benefício da transformação digital da empresa. Em estudo intitulado The Future of Apps Must Include Citizen Development — O futuro dos aplicativos precisa incluir o desenvolvimento por leigos — publicado em outubro de 2019, o Gartner recomenda aos “responsáveis por desenvolvimento e plataformas” que: trabalhem com foco na redução de riscos de Shadow IT por meio do trabalho com líderes de unidades de negócios, designando profissionais que não são programadores, nem de TI, para se tornarem “desenvolvedores” de aplicações. Esses profissionais são chamados pelo Gartner de “desenvolvedores cidadãos”, ou seja, desenvolvedores que não são técnicos, nem de TI, nem programadores. Essa estratégia tem o objetivo de estabelecer zonas de atividade segura e de confiança para a empresa; habilitem práticas de desenvolvimento de aplicações feitas pelos desenvolvedores não-técnicos, criando uma comunidade de prática que inclua tanto as unidades de negócios quanto a unidade de TI; aprimorem, constantemente, os resultados para aplicações criadas pelos “desenvolvedores cidadãos”, unindo áreas de negócios e a seleção de TI sobre as ferramentas ideais e tecnologias que facilitam esses desenvolvedores não-técnicos para criarem suas próprias soluções (aplicações) de negócios.   Automação de processos para transformação digital por meio de DPA e RPA Ao lado das soluções de DPA estão, entre as ferramentas mais populares do mercado, as soluções de RPA — Robotic Process Automation —, que podem ser ou não ferramentas low-code. A principal característica é utilizar “robôs virtuais”. Ou seja, funcionalidades de software que atuam como robôs e são especialmente úteis para a automação de tarefas repetitivas de rotina, com grande economia de tempo na entrega de soluções de processos de negócio. Essas ferramentas, por sua praticidade na automação de inúmeros processos burocráticos, têm alcançado grande sucesso no mercado. Segundo dados do Gartner, em estudo de janeiro de 2019, em 2017 houve um renovado interesse em tecnologias de automação de processos de negócios, com o mercado de ferramentas RPA explodindo, já que “o RPA promete um rápido retorno do investimento (ROI),  impulsionado pela integração no nível da interface do usuário (…) O RPA representa uma maneira de liberar recursos humanos, gerando rapidamente valor para os negócios”.  A tendência é que, com o progresso da Inteligência Artificial, as plataformas RPA se tornem cada vez mais sofisticadas, estendendo-se por um espectro que começa com a digitalização tática e termina com funções cognitivas avançadas, capazes de gerenciar exceções. O RPA vai incorporar, gradualmente, o aprendizado de máquina e o suporte a chatbots, aumentando a cobertura de casos de uso e seu valor para a empresa.   Cases de sucesso Como em todo o mundo, também no Brasil organizações de diferentes segmentos têm conseguido utilizar com sucesso ferramentas DPA e RPA para a automação de seus processos de negócios. Veja alguns exemplos de projetos bem-sucedidos de empresas que optaram pela plataforma de processos low-code Zuri, para desenvolvimento de soluções de negócio por meio de ferramentas intuitivas e visuais. Gestão de frotas Uma empresa de benefícios que desejava compartilhar a base de clientes da unidade de negócios de gestão de frotas com outras unidades da companhia criou aplicação para essa finalidade em um mês e meio, a custo bastante econômico, impulsionando o payback e o ROI. O acesso de outras unidades de negócio àquela base de clientes gerou valor monetário significativo, maximizando esforços de prospecção e de outras atividades comerciais.   Mercado financeiro Um grande banco obteve um enorme ganho de tempo na aprovação do acesso de funcionários aos seus sistemas internos. Com a substituição de processos manuais baseados em telefone e e-mail por solução desenvolvida na plataforma Zuri, o prazo de aprovação para um dos serviços passou de dois dias para apenas alguns segundos.   Setor de benefícios Uma grande empresa do setor de benefícios, considerada líder no âmbito do PAT — Programa de Alimentação do Trabalhador, instituído pelo Ministério da Fazenda, precisava criar e lançar uma nova oferta de negócios em tempo recorde, acelerando o time-to-market e se antecipando aos concorrentes. A solução foi desenvolvida em um mês e, com economia de 75% em relação aos gastos inicialmente previstos com o desenvolvimento por métodos tradicionais, foi possível lançar a nova oferta […]

Transformação digital exige automação de processos

A automação de processos e a transformação digital A automação de processos faz parte da transformação digital dentro das empresas. Aprimorando os processos, a empresa consegue ampliar a competitividade.   Para que a transformação digital se torne uma realidade, o primeiro passo é entender o que ela representa e como a sua empresa pode se adaptar às mudanças atreladas a ela. Os processos digitais constituem o alicerce da tão buscada transformação. O sucesso dos negócios está diretamente relacionado à qualidade na automação dos processos, visando assegurar a eficiência operacional da empresa. A grande dúvida dos empresários é: como chegar lá? Como atingir a meta de transformar sua empresa para que ela esteja adaptada aos novos tempos da economia digital e continue a ser lucrativa? Neste artigo, vamos ajudar você a descobrir a resposta para essas perguntas. Confira!     Estratégias de gestão De forma objetiva, para atender às demandas do mercado e colocar em prática iniciativas capazes de aprimorar os processos digitais, os “executivos responsáveis pela infraestrutura e operações da empresa precisam criar um roteiro capaz de levar a automação de suas áreas a um novo patamar”, conforme destaca o Gartner.   Isso significa automatizar cada vez mais as tarefas da TI, das áreas de negócios e os fluxos de trabalho, de modo a obter maior eficiência operacional e responder adequadamente às demandas do mercado e dos clientes. Ao criar uma estratégia de automação de processos/transformação digital, o primeiro passo é estabelecer metas e prioridades — levando em conta os recursos humanos e econômicos da empresa — para que seja possível cumprir objetivos definidos no tempo. O gerenciamento de processos de negócio — BPM, Business Process Management — no clássico modelo de notações BPMN, muitas vezes não corresponde aos resultados desejados. Isso porque as tecnologias de TI estão em constante evolução e por exigir o suporte de profissionais especializados.   Automação de processos A tese é a de que gerenciamento de infraestruturas de TI, por si só, não resolve todos os problemas de TI , que precisa orquestrar todo o gerenciamento do fluxo de processos que elas possibilitam. Isso porque há um enredamento cada vez mais complexo entre infraestruturas de TI on-premises e múltiplas nuvens, conectadas a dispositivos diferentes, executando aplicações corporativas ou não, que podem envolver análise de um volume expressivo de dados. Isso é o que compõe a economia digital no nosso século. Os analistas do Gartner acreditam que, até 2022, 90% dos executivos voltados para infraestrutura e operações vão concentrar seus esforços em facilitar transações, e não em criar infraestrutura. Na vida real, os processos de trabalho são mantidos, muito frequentemente, em documentos Word, planilhas Excel e diagramas de processo, o que abre espaço para automação de processos. As ferramentas digitais para automatizar processos devem aprimorar o desenho de fluxos de trabalho, contribuindo para que as organizações deixem para trás as antigas abordagens de automação baseadas em script, passando a novos modelos que sejam mais facilmente gerenciáveis, escaláveis e sustentáveis. E ainda que seja importante a automação de processos para tornar “mais digitais” as funções de indivíduos ou de grupos, sugere-se que o foco principal recaia sobre a coordenação, sequenciamento e timing da entrega de serviços. Esse deve ser o foco: a qualidade e entrega dos serviços.     O fator humano  Apesar de seus inegáveis benefícios, o nível de maturidade da automação é relativamente baixo, segundo pesquisa de 2018.   Fonte: Gartner, 2018. Há uma série de barreiras à automação de processos nas empresas, entre as quais se encontram investimentos insuficientes, uma compreensão ainda limitada do que fazer com esses processos e como organizá-los. Mas é preciso também vencer um desafio de ordem cultural. Existe uma resistência cultural a essa automação relacionada à eliminação de empregos. Não é nova a afirmação de que a transformação digital exige a combinação de três fatores: pessoas, processos e tecnologia. Isso significa que não basta equacionar as tecnologias a serem utilizadas e desenhar processos. Lidar com pessoas pode ser bastante difícil. O Gartner recomenda a criação de um time com foco na automação, tendo sempre em vista atender ao cliente, interno ou externo. E aponta três princípios básicos para o sucesso do time e da própria automação de processos, que são:   passar da mentalidade tática à estratégia, buscando expertise além das operações do dia a dia e baseando a automação no desejo dos clientes; definir papéis e modos de colaboração; estabelecer um roadmap, mapeando os pontos fortes e fracos, com métricas claras.    Como mostra a experiência internacional relatada nas pesquisas do Gartner, a automação de processos orquestrados para a transformação digital das empresas ainda precisa amadurecer, vencendo algumas barreiras presentes em organizações de todos os setores. Um bom começo para enfrentar essa tarefa nada fácil pode ser a criação de uma equipe voltada para a automação estratégica de processos. Interessado em saber mais sobre como a transformação digital e automação de processos podem ajudar seu negócio, departamento ou time? Entre em contato com o time da Zuri e converse com um dos nossos especialistas.     “PhD. Leandro Zerbinatti, Diretor de Serviços” Mentor de Transformação Digital e Professor PHD, Leandro traz em seu legado vasta experiência corporativa em áreas do ciclo de desenvolvimento da Engenharia de Sistemas (Eletrônicos e de Informação), Inovação e Capacitação de Pessoas. Nos últimos anos, aprofundou seu expertise na tecnologia low-code e atuou como líder de Academy para a Outsystems, gigante do mercado global em tecnologia low-code, focada em desenvolvimento de aplicativos.   Referências: 2018 Strategic Roadmap for I&O Automation, Gartner, maio de 2018. Analistas:Terrence Cosgrove e Robert Naegle 2018 Strategic Roadmap for I&O Automation, Gartner, maio de 2018. Analistas: Terrence Cosgrove e Robert Naegle Market Guide for IT Process Automation, Gartner, abril de 2018. Analista: Robert Naegle 2018 Strategic Roadmap for I&O Automation, Gartner, maio de 2018. Analistas: Terrence Cosgrove e Robert Naegle Start Building Your Automation Team Now, Garner,  2010, Analista: Chris Saunderson Transformação digital em processos de negócio, Astéria, junho de 2018, Emília Bertolli https://www.asteria.com.br/transformacao-digital-em-processos-de-negocio/ Transformação Digital e transformação de processos caminham juntas […]

Automação de Processos Transforma sua Organização

Automação de Processos Transforma sua Organização Iniciamos com uma provocação: Qual a relação entre processos e sua organização? Uma empresa é uma sucessão de trabalhos, atividades, tarefas, para a realização de um objetivo. Estas atividades cotidianas precisam ser gerenciadas e, com o aprimoramento e atualização, são automatizadas e melhoram o desempenho da organização. Por isso, iniciamos afirmando que a automação de processos transforma sua organização.  Um processo é uma junção de atividades executadas pelos colaboradores para alcançar os resultados esperados pela função, área ou departamento. É dessa forma que o trabalho agrega valor para os clientes. Muito próximo não?! O funcionamento de uma empresa é indissociável com os processos produtivos, gerenciais ou de suporte. Tudo que é realizado dentro de uma empresa faz parte de um processo. Um produto ou informação entra, é transformado e gera uma saída esperada.  Por esse motivo os processos são tão importantes dentro das organizações.  São através deles que são conduzidas as principais atividades de compras, vendas, processos de performance, atendimento ao cliente, recursos humanos, financeiros, qualidade, marketing e tantas outras atividades.  Consagrado no mercado o BPM (Business Process Management) nos fornece um conjunto de conhecimentos sobre os princípios e práticas de gestão de processos, oferecendo para a organização que o pratica a capacidade de gerenciar seus processos de forma eficiente e eficaz.  As empresas que aderem o BPM, buscam nessa disciplina, entregar maior valor para o cliente, eliminar gargalos, otimizar os fluxos operacionais, eliminar desperdícios, e por fim, entregar mais e melhor para os clientes. A resultante dessa adoção é maior lucratividade.  Muitas organizações adotam o chamado BPMN (Business Process Model and Notation), que vem se tornando um padrão para desenho de processo através de sua notação icônica. O desenho de processos é parte da tarefa de mapeamento de processos.  Automatizar os processos já é outra história. Começamos a entrar no mundo da tecnologia.  Os BPMS (Business Process Management Systems) são ferramentas que automatizam todo o fluxo de informações e ações identificados e desenhados nas fases anteriores.  Porém, com o avanço tecnológico e a necessidade de acompanhamento das mudanças nas demandas dos negócios e clientes, decorrentes da chamada Transformação Digital, as organizações estão migrando dos conceitos do BPM para o DPA (Digital Process Automation) e RPA (Robotic Process Automation).  Tudo bem, o DPA e RPA são um subconjunto importante do BPM, mas essa mudança na tecnologia está ancorada na crescente necessidade de negócios para automatizar os processos.  Benefícios bastante palpáveis na adoção de soluções DPA / RPA são: permitir operações mais ágeis; redução dos custos; redução de erro humano, e foco no cliente.  Visto que o DPA/RPA não necessita tanto do elemento humano quanto aqueles que estão fundamentados no BPM, ele permite que as etapas mecânicas sejam gerenciadas por um fluxo de processos automatizados e inteligentes.  A Forrester afirma: “À medida que as organizações realizam esforços de transformação digital, surge uma importante visão: o processo é importante. Os investimentos em bonitas experiências móveis e na web não vão mudar a agulha da bússola, a menos que os profissionais de desenvolvimento de aplicativos garantam que os processos no back-end estejam alinhados para oferecer suporte a uma verdadeira experiência do cliente de ponta a ponta.”  A Zuri entrega exatamente isso, permitindo que as mudanças nos negócios sejam rápidas através de interfaces intuitivas (Low-Code), atento à experiência do usuário e assim permitindo uma rápida inovação.   Automação de processos na era da transformação digital Preencha o formulário para baixar seu e-book gratuitamente! Nome* Email* Baixar E-book!     Vamos conversar sobre como automação ajuda você? Conheça a solução Zuri, a plataforma de automação usada nas melhores e maiores organizações há mais de 20 anos. 

Insights de Negócios com dados estruturados e automação de processos

dados estruturados

Dados e automação: Importância de ter insights de Negócios com dados estruturados em plataformas de automação de processos Automação de processos gera eficiência operacional, aprimora a Gestão, a Inteligência do negócio, acelera o time-to-market e reduz o time-to-value.   Você há algum tempo vem amadurecendo a ideia de automatizar processos de negócio na sua área. E quando pensa em começar, lá vem um obstáculo. Ou são sistemas legados que não podem ser substituídos, ou resistência do pessoal, ou prioridades urgentes do departamento de TI… E a verdade é que você continua a usar – mesmo a contragosto, mesmo sabendo que não é a melhor solução – planilhas e e-mails para execução e controle das tarefas de que dependem os resultados do seu departamento. Entre as vantagens da automação de processos digitais com ferramentas BPMS (Business Process Management Suites) avançadas, é comum apontar vantagens como: Eficiência Operacional Redução de erros Redução de custos Maior velocidade Gestão e Inteligência Estruturação de dados da operaçãoprocessos e atividades de negócio Relatórios e dashboards customizados para seus próprios KPIs e seu negócio Gestão Ágil com rápido e fácil acesso à informações da Operação e cada atividade específica e em tempo real Testar e ajustar novos produtos mais rapidamente Acelerar o Time-to-Market de novos produtos Reduzir o Time-to-Value de novas ofertas para o mercado A questão é como, de que modo, automatizar seus processos de trabalho e processos que poderiam ser realizados entre diferentes sistemas, inclusive, removendo a necessidade de ter recursos humanos em muitas tarefas desnecessárias. Uma questão com a qual você se depara cotidianamente e da qual já não pode fugir. Se você ainda não sabe exatamente como e por onde começar a automatizar seus processos de trabalho, uma boa estratégia pode ser observar mais cuidadosamente a produtividade do seu time. Isso pode ser um bom indicador de onde estão os gargalos dos fluxos de trabalho, e de como melhorar um determinado processo. Um só, para começar. Talvez seja preciso vencer a inércia dos mais conservadores. Mas, começar melhorando algo que era crítico, vai tornar muito evidentes os benefícios da automação de processos. E quando os resultados começarem a aparecer você contará com o engajamento da equipe e reconhecimento do pioneirismo e sua energia para mover o projeto e transformar a empresa (Transformação Digita) para aprimorar ainda mais os processos de negócio – e para estender as vantagens da automação de processos a toda a sua área de negócios, tornando-a mais independente e ágil para responder às mudanças cada vez mais frequentes e profundas no mundo de negócios digitais.   Mas repare: você precisa de informações para melhorar seus processos Supondo que você comece pelos setores onde é menor a produtividade, você precisa ter dados. Não importa se você, por exemplo, utiliza bots para verificar onde falha a produtividade no ir e vir de e-mails ou em sucessivas edições de planilhas compartilhadas; não importa se você decide conversar com suas equipes para recolher sugestões… o importante é que você precisa de dados para tomar as decisões certas no que toca à automação de processos de negócios. E é clara a tendência de um ciclo virtuoso em que dados alimentem a automação de processos, que por sua vez irá gerar dados estruturados que afetarão as decisões de gestores e, consequentemente, afetarão o próprio desempenho da empresa. Neste novo “ciclo” ou “forma otimizada de trabalhar”, novos dados serão registrados e analisados para novas ações. Um ciclo virtuoso de geração de dados estruturados e decisões cada vez mais baseadas em dados do negócio, parte importante da Inteligência de Negócios. Entretanto não basta acumular dados sem conexão entre si. É preciso integrar os dados de diferentes áreas para que eles se tornem relevantes do ponto de vista tanto da eficiência de processos como do desempenho da empresa. Integrando dados de diversas fontes a empresa simplifica as rotinas operacionais de suas áreas. Um sistema de integração de dados unifica as informações que a companhia recolheu e armazenou durante anos, muito provavelmente a partir de diferentes ferramentas de software que, por sua vez, provavelmente não eram compatíveis entre si.   Dados e analytics sob a mesma governança “Houve um tempo em que a análise de dados, embora vinculada às atividades operacionais, era distinta destas mesmas atividades operacionais. Porém, para exercer todo o seu potencial, a análise de dados deve existir para o negócio, e não sobre ele. Com métricas calculadas em tempo real, como parte do processo, a análise de negócios já não pertence ao alto sacerdócio de dados, mas a uma democracia participativa1”. São palavras do Gartner que, em estudo sobre as tendências para a década de 20201 prevê ainda que, até 2023, 90% das 500 maiores empresas do mundo terão convergido dados e analytics para uma governança comum. O Gartner aponta que as iniciativas de digitalização geralmente são prejudicadas pela desconexão, na empresa, entre silos de dados times de analytics. Sem a mesma governança, a tomada de decisões se torna mais complexa, demorada e cara. Desenvolvimentos em andamento prometem que as ferramentas de analytics irão se tornar, elas próprias, contadoras de histórias – e não apenas instrumentos para a criação dessas histórias. E haverá valor em saber usar essas ferramentas para o crescimento da empresa – o que nos traz de volta ao valor dos aplicativos. De preferência flexíveis, para atender às mudanças necessárias aos negócios da empresa.   Análise aumentada: o futuro da análise de dados A análise aumentada, que se vale da inteligência artificial e do aprendizado de máquina vai mudar a maneira de construir e de consumir análises, já é uma realidade bem próxima de nós. Se aumentada já é uma realidade já bem próxima de nós. De acordo com o Gartner2, até 2021 – ou seja, já no ano que vem – a análise aumentada será um dos fatores preponderantes para a seleção e compra de sistemas de analytics e de BI (Business Intelligence), assim como para plataformas de aprendizado de máquina, ciência de dados e capacidade analítica embutida em dispositivos. Até 2021, […]

Eficiência operacional com automação de processos

Entenda como a automação de processos pode garantir eficiência para o seu negócio Você busca mais eficiência na sua empresa? Entenda como a automação de processos pode ajudar! A automação de processos é um tema que vem ganhando destaque nos últimos anos. Com a evolução tecnológica e o desenvolvimento de novos sistemas e ferramentas voltadas para otimização, a necessidade de automação vai se tornando cada vez mais urgente. A fabricação de novos produtos, a prestação de serviços e até mesmo a comercialização de mercadorias demandam processos. Isso significa que toda empresa está atrelada a um “modo de fazer”, com processos que devem ser estabelecidos de forma a trazer mais agilidade para a execução das atividades. Se você está lendo este artigo, provavelmente já busca soluções eficientes e melhores resultados para o seu negócio. Mas como tornar a sua área mais produtiva por meio da automação, sem pesar sobre a equipe e com um orçamento mais restrito? Neste artigo, vamos ajudá-lo a descobrir a resposta para essa pergunta. Confira!  Ferramentas de automação de processos Já é possível encontrar no mercado uma série de ferramentas de automação de processos (DPA – Digital Process Automation e RPA – Robotic Process Automation), indicadas para diferentes perfis de profissionais, inclusive aqueles que não têm conhecimento técnico, mas que estão em busca de soluções simples e com baixo custo. É bastante provável que você já tenha se deparado com diferentes sugestões de abordagens para o aprimoramento dos processos em sua empresa. É possível que já tenha tentado algumas, mas que ao longo do caminho tenha identificado que elas eram complexas demais. Soluções simples e intuitivas Para atingir melhor eficiência nas suas operações é necessário pensar em uma abordagem mais simples e intuitiva. De preferência, que estimule a sua equipe e tenha a capacidade de tornar tarefas do dia a dia mais dinâmicas, simples e econômicas, contribuindo efetivamente para o desenvolvimento dos seus negócios. Atualmente, há soluções de automação de processos de negócios que são fáceis e robustas, diferentemente do que a Gartner indicava há alguns anos. Hoje, com plataformas de automação de processos intuitivas e fáceis de usar, todos podem realizar mudanças capazes de levar a organização a perceber os processos como um ativo essencial para a empresa, e não como um obstáculo em suas rotinas. Com as novas soluções de automação de processos de negócios disponíveis no mercado, ficou mais fácil e ágil mostrar resultados de forma eficaz.   Fonte: Gartner, Successful Approaches to Business Process Improvement    Padronização de processos e eficiência operacional Os processos e soluções digitais contribuem para a eficiência do trabalho e do negócio como um todo. O dinamismo do mercado e a evolução tecnológica cada vez mais rápida demandam adaptação constante das empresas que, se não acompanharem o fluxo, correm o risco de perder espaço para a concorrência. Nesse contexto, quando a tecnologia é bem utilizada, permite a automação de processos para a rápida entrega de soluções. É claro que isso deve ser viável sob diferentes aspectos, inclusive sob o ponto de vista econômico-financeiro. Sem dúvida, um dos grandes desafios das organizações é lidar com o orçamento, cada vez mais enxuto e demandando sempre novas soluções. Quando se fala em eficiência operacional, é impossível deixar de pensar em padronização de processos. De acordo com a Gartner, “em 2013 apenas 30% dos CIOs estavam à frente de programas voltados ao aprimoramento de processos de negócios.” Em 2017, a consultoria Mckinsey publicou um estudo que apontava o fato de que processos de automação com inteligência representam: 20% a 35% de melhora em eficiência; 50% a 60% de redução de tempo de processo; retorno sobre o investimento (ROI) na casa dos três dígitos percentuais. Neste contexto, a busca por mais produtividade e, consequentemente, mais lucratividade, se traduz cada vez mais em digitalização. Veja, por exemplo, o que afirma estudo do Gartner publicado em 2019:  “Muitos líderes empresariais estão buscando agressivamente eficácia operacional e metas de produtividade para obter maior lucratividade. Essas empresas procuram aprimorar as aplicações e recursos que possuem no sentido de digitalizar e automatizar os processos de negócios existentes para assegurar mais eficiência operacional, escalabilidade e redução de custos”. Se o objetivo da sua empresa é essa “eficiência operacional, escalabilidade e redução de custos”, você precisa investir em tecnologia transparente, confiável e responsiva.   Transformação digital na sua empresa A transformação digital é uma realidade concreta e necessária. Sabemos que o mundo está conectado e as empresas precisam se adaptar a essa nova realidade. Nesse contexto, a otimização de processos é um dos pontos estratégicos que precisam ser trabalhados para que a empresa consiga atingir os resultados a que se propõe. Aqui, vale mencionar o estudo de Gartner sobre otimização de TI: “A organização otimizada para processos visa à eficiência, o que significa implementar planos com o menor gasto possível de recursos, entregando soluções de negócios de maneira econômica”. A questão do prazo é outro aspecto importante. Na maioria das vezes, os prazos para a entrega de aplicações que vão promover a padronização de processos ultrapassam o que os executivos da empresa consideram aceitável para os negócios. Todas essas questões precisam ser avaliadas de forma estratégica e inteligente pelos gestores, que devem buscar o suporte de empresas de TI com expertise em entregar soluções: intuitivas; visuais;  capazes de automatizar processos; personalizáveis e adaptáveis às necessidades do negócio; que não exijam conhecimento técnico complexo da equipe; que criem fluxos de forma mais natural possível.   Automação de processos na era da transformação digital Preencha o formulário para baixar seu e-book gratuitamente! Nome* Email* Baixar E-book!   Como a Zuri pode ajudar a sua empresa A Zuri trabalha com hiper automação, ou seja, organizamos e compilamos todas as tecnologias, desde automação de tarefas manuais com implementação de RPA, até orquestração de processos, utilizando tecnologias como DPA, BPMS e Workflow e integração de sistemas e pessoas. Nossa solução Zuri atende às necessidades de diferentes tipos de empresa, adequando-se a todos os tipos de processos em organizações de médio e grande porte. Ajudamos até […]

Guia de Automação de processos: um “mini-guia”

Guia de Automação de processos: um “mini-guia” O que é? Como implementar? Quando iniciar? A automação de processos é o principal caminho tecnológico para aumentar a produtividade, otimizando cada recurso da empresa e faz com que as tarefas dos colaboradores se tornem cada vez mais eficientes e gerem mais valor. Mesmo em um mundo onde a transformação digital dita as regras de forma cada vez mais intensa e veloz, muitas pessoas deixam de lado a automação de processos por acreditarem que elas não são capazes de ajudar um negócio a crescer. Nem todos conhecem bem como desenhar e implantar automação de processos que gerem vantagem competitiva. Pensando em desmistificar o assunto, a Zuri preparou um guia completo sobre o que é uma automação de processos e o porquê você precisa ter esse tipo de sistema em sua empresa o quanto antes.   Automação de processos – O que é? Automação de processos digitais pode ser resumida no uso de aplicações de TI utilizadas para realizar ou auxiliar na adequada execução de tarefas e rotinas de trabalho que poderiam ser feitas de forma manual. A automação de processos digitais permite que uma equipe inteira de trabalho consiga otimizar tempo e informações através de poucos cliques, agregando valor individual e em grupo, aumentando o valor gerado tanto para cada departamento (área de negócio) como para a empresa inteira. Mesmo utilizando computadores e nuvem para coletar e armazenar dados de modo a consolidar tudo em um único local, ainda é preciso (1) garantir que os dados certos sejam coletados e (2) gerar conhecimento acerca da execução dos processos para, então, criarmos inteligência e gerar os insights de negócios que tanto precisamos, tanto em nível operacional, como gerencial e da alta gestão. A automação de processos, em geral, precisa de pessoas para alimentar o sistema para que ele consiga desempenhar suas funções com o máximo de precisão. Por conta de sua facilidade, a utilização da automação de processos vem se tornando cada vez mais popular em diversos setores brasileiros. Através do DPA (Digital Processos Automation) com tecnologia low-code o usuário consegue criar aplicações de TI que criam ambiente para acelerar a transformação digital na sua empresa. Enquanto através do RPA (Robotic Process Automation), é possível utilizar softwares como “robôs” para a execução de tarefas que poderiam ser feitas por colaboradores, mas que tomaria um tempo muito grande de trabalho.  Agora, imagine você e seu time poderem criar aplicações de TI que sejam verdadeiras soluções de negócios que automatizam os processos específicos da sua área e do seu negócio. Tudo customizado para você, para sua área e para seu negócio. Imagine ter relatórios e dashboards customizados para seus KPIs, suas metas e seus objetivos. Olha a facilidade que este tipo de solução pode criar e o valor de negócios que pode potencializar. Algumas soluções de automação de processos digitais, como a Zuri, possuem tecnologia low-code, o que permite que você e seu time criem aplicações sem que vocês precisem de conhecimento técnico em programação ou, se seu time for de TI, uma solução como esta traz maior rapidez e eficácia nos desenvolvimentos. Uma espécie de LEGO em que você clica e arrasta e, no fim, clica “ativar” para que sua solução de automação de processos, específica para você, esteja funcionando.   Como implementar a automação de processos? Para que você tenha os resultados esperados da automação de processos, é preciso que você conclua algumas etapas de implementação. Por isso, selecionamos algumas das que consideramos essenciais para te ajudar em uma transição mais tranquila. Mapeie todos os processos da empresa Um dos grandes segredos para que a automação de processos seja eficaz e ajude no dia a dia de um negócio está relacionado ao desenho do processo e ao valor que esta cadeia de processos contribui para a geração de receita ou diminuição de despesas. Planejar o processo, desde seu redesenho até a implantação em sí, é um desafio que pode requerer um parceiro (ou fornecedor) experiente. Esse é um dos pontos principais para fazer com que a nova estrutura processual gere os resultados esperados. Afinal, muitas vezes percebemos implantação de sistemas e aplicações de automação de processos sem um adequado mapeamento, um planejamento sobre qual a verdadeira utilidade para toda cadeia processual e para o “core” do negócio. O “core” diz respeito ao principal do negócio, são aquelas atividades que geram valor em alto grau para a empresa. Trazer a automação para estes processos permite gerar conhecimento e inteligência sobre o principal das atividades da sua área ou da empresa. Ter uma solução de automação que seja útil tanto para fluxos de trabalho simples como para o “core” da empresa, que seja fácil de usar para qualquer profissional sem experiência e, ao mesmo tempo, permita aos especialistas desenvolverem integrações complexas, isso faz a diferença para o resultado da implementação da automação de processos. Pense em situações como: Quais os setores mais importantes da empresa? Como a tecnologia ajudaria a apresentar dados relevantes? Como um software poderia ajudar a otimizar o trabalho de uma equipe? A partir destes princípios, você conseguirá avaliar o que precisará ser automatizado, sem perder a eficiência do setor. Determine quais processos podem ser automatizados Apesar de cômodo e extremamente funcional, é preciso saber quais são os setores que precisam da automatização de processos para se tornarem mais produtivos. A melhor maneira de saber o que precisa da ajuda da tecnologia, são setores e tarefas que precisam desempenhar as mesmas funções, todos os dias. Essa, inclusive, é uma etapa fundamental. Segundo uma pesquisa de automação de operações comerciais para escalagem de negócios digitais, divulgada pela Gartner, um sistema automatizado em que o processo tenha sido mal projetado, passa a ser uma automatização ruim, podendo gerar desperdício de dinheiro, infraestrutura e manutenção. Avalie o potencial do projeto Nem todos os processos de uma empresa devem ser automatizados imediatamente ou logo no início. Neste sentido, percepção do líder é fundamental para garantir que o projeto seja bem aproveitado na organização e gere os […]

Descubra como ter processos mais eficientes na sua empresa

Descubra como ter processos mais eficientes na sua empresa Processos mais eficientes sem pesar no orçamento da empresa. Descubra como é possível otimizar o negócio sem realizar grandes investimentos financeiros.   Em seu dia a dia de trabalho você sofre uma série de pressões que exigem o constante aprimoramento dos serviços da TI, obrigando sua área a inovar sempre. Ter processos mais eficientes é, sem sombra de dúvidas, um dos desafios diários em qualquer mercado. Reforçando a necessidade permanente de se reinventar, surgem a cada momento novas tecnologias. No caso dos responsáveis pela TI de uma empresa, essa atualização é uma condição essencial para que consiga entregar soluções de modo rápido e eficiente, com as respostas requeridas pelas áreas de negócio — e, se possível, surpreendendo-as positivamente. Só assim o trabalho será reconhecido como efetivo na busca por resultados da empresa.  Neste artigo, você vai descobrir como ter processos mais eficientes, mesmo com um orçamento apertado. Confira!     Necessidade de aprimorar os processos Muitas vezes, o merecido reconhecimento dos responsáveis pela TI de uma empresa, não ocorre de maneira tão óbvia, mesmo em tempo de transformação digital e constatação da relevância desses profissionais. Uma recente pesquisa do Gartner, entrevistando 90 CEOs de empresas de tecnologia, mostra que 68% deles têm como prioridade a expansão da empresa, mas somente 26% deles veem como prioritário o aprimoramento de processos de negócio. Isso revela o grau do descompasso entre o desejo de crescimento e a percepção (correta) de que melhores processos impulsionam maiores receitas. Vamos avaliar um exemplo real: uma empresa de serviços de tecnologia, oferecendo ao mercado uma excelente arquitetura corporativa, fechava negócio 90% das vezes em que apresentava prova de conceito ao possível novo cliente. O que essa empresa poderia fazer para se expandir no mercado? A ideia do CEO era contratar mais profissionais, para apresentar provas de conceito a um maior número de potenciais clientes. Em vez disso, o Gartner recomendou a criação de uma prova de conceito on-line, para autoatendimento. Dessa forma, sem limites no número de apresentações, a taxa de fechamento de negócios passou a ser de 65% e foi possível à empresa dar conta de um número muito maior de atendimentos sem novas contratações.   Processos mais eficientes por meio da automação Um atributo-chave da inovação em negócios é o desenvolvimento de processos automatizados escaláveis, que permitem maior crescimento no longo prazo. A prioridade, tanto nos processos de front-office — como vendas e marketing —, quanto nos processos de back-office — como contabilidade, finanças e recursos humanos — deve ser sempre o desenvolvimento dos processos escaláveis. Sem automação, a otimização de processos se torna uma tarefa praticamente impossível. E há ferramentas certas para diferentes tipos de automação de processos.   Soluções Robotic Process Automation As soluções RPA — Robotic Process Automation —  são um modo eficiente de você rapidamente agilizar os processos repetitivos e uma boa maneira de iniciar uma estratégia de automação de longo prazo. Funcionalidades presentes em soluções RPA para automação de processos são capazes de executar atividades operacionais de rotina, ligadas a processos burocráticos. Com essas soluções você emula ações humanas tanto em tarefas determinadas quanto nas diferentes etapas de processos mais complexos. Isso inclui, por exemplo: a resposta automática a e-mails; processamento on-line de ordens de compra; categorização de chamados de suporte; gerenciamento de folhas de pagamento; transferência de dados entre diferentes sistemas, entre muitas outras possibilidades.  De acordo com uma publicação da Forrester Research, o RPA seria uma abordagem tática, para “aliviar as dores” de um processo penoso, enquanto o BPM — Business Process Management — tem como objetivo modernizar e, continuamente, aprimorar os processos de negócios.   Digital Process Automation O conceito de Digital Process Automation — DPA — pode ser considerado uma evolução da categoria BPM, expressando a necessidade cada vez maior de automatizar processos, como elemento essencial da jornada das empresas rumo à transformação digital. A Forrester Research diferencia o DPA–deep (um DPA profundo) do DPA–wide (um DPA largo), sendo o primeiro destinado a um pequeno e seleto grupo de profissionais de TI altamente qualificado, com foco em processos muito complexos e capazes de determinar onde inovar ou não. Essas soluções DPA-deep também são caracterizadas pelo foco em criar aplicações mais complexas, portanto, um número menor se comparado à DPA-wide. O DPA-wide seria “para as massas”, estendendo o design do processo para além dos pequenos grupos de desenvolvimento altamente qualificados para os usuários corporativos, utilizando plataformas low-code, ou mesmo no-code. Ou seja, todos podem se beneficiar de soluções DPA low-code de automação de processos. Outra característica dessas soluções DPA-wide é a escalabilidade, o foco em centenas de aplicações. Por dispensarem codificação, essas plataformas não exigem uma alta qualificação em TI do profissional desenvolvedor. Ainda assim, permitem mudanças significativas em modelos e procedimentos operacionais — como fluxos de trabalho, regras de negócio, modelos de dados e modelos de decisão, entre outros — influenciando diretamente os processos e resultados operacionais da empresa.   DPA-Deep e DPA-Wide A questão que se apresenta é: como ter uma plataforma que sirva tanto aos times de TI (DPA-Deep) como para os times de negócios (DPA-Wide) ao mesmo tempo? Um modelo ideal é a solução Zuri, que resolve de forma simples problemas altamente complexos, tanto para equipes de TI quanto para equipes de negócios. Profissionais de negócios sem conhecimento em linguagem de programação e desenvolvimento conseguem usar o Zuri para criar sua própria solução de automação de processos de negócios. Ao mesmo tempo, o Zuri também atende equipes de TI, fornecendo criação de aplicações complexas com integrações de sistemas, e tudo sob fácil governança, seguindo compliance e outras regras de negócios. A Forrester Research identifica ainda outra classe de produtos para automação de processos: DCM (Dynamic Case Management), voltada a ambientes múltiplos, processos específicos caso a caso ou investigações: “é importante entender as diferenças entre as tecnologias para a automação de processos. Mas também é importante compreender como elas podem funcionar em conjunto. A Forrester identifica silos de automação sendo criados em empresas – […]